fb icon 325x325 f fb icon 325x325 f fb icon 325x325 f fb icon 325x325 f fb icon 325x325 f fb icon 325x325 f

O Livro Comunidades Energéticas Sustentáveis

Comunidades Energéticas Sustentáveis

Francisco Calhau, membro do Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve, lançou o livro "Comunidades Energéticas Sustentáveis: Estudo de Implementação de uma Comunidade Eólica no Algarve".

O livro aborda o tema da geração de eletricidade com recurso à energia eólica, dando assim o seu contributo para a redução das emissões de dióxido de carbono e demais gases causadores do efeito de estufa. 

O Principal objetivo do trabalho foi estudar a implementação de uma unidade de geração de eletricidade a partir da energia eólica, que permita satisfazer as necessidades de consumo de uma pequena comunidade local, na região do Algarve, e analisar a sua viabilidade financeira e económica. Este estudo é um excelente contributo para a maior utilização das energias renováveis na geração de eletricidade de forma descentralizada, em particular através da energia eólica, incentivando-se a constituição de sistemas locais de geração de eletricidade para autoconsumo de pequenas comunidades urbanas, indo ao encontro do conceito das Renewable Energy Communities, mais especificamente das Wind Communities

Diretora do CIMA agraciada com a Medalha de Mérito Grau Ouro

Diretora do CIMA agraciada com a Medalha de Mérito Grau Ouro

O Municipio de Faro decidiu atribuir a Maria João Bebianno, Professora Catedrática da Facudade de Ciências e Tecnologia e Diretora do CIMA da Universidade do Algarve, no dia do Municipio de Faro (7 de Setembro), a Medalha de Mérito- Grau Ouro pelos assinaláveis benefícios grangeados ao Municipio de Faro e pelo seu percurso profissional.

Video tempo: 2:42:41

https://www.facebook.com/municipiodefaro/videos/343838283656781/

Ocean Teaching Global Academy - Aprovado

Consórcio Ocean Teaching Global Academy

O Consórcio Ocean Teaching Global Academy é uma iniciativa que envolveu todos os centros de investigação do país, no qual a Universidade do Algarve tem como coordenadora Maria João Bebianno. Foi elaborada uma proposta que foi submetida à UNESCO e aprovada a esta data, que integra todos os centros de investigação do mar do país e a estrutura de missão para a plataforma continental, para a criação de um consórcio que tem por objetivo oferecer cursos em inglês/português, em particular para os países de língua oficial portuguesa.
Os investigadores do CIMA envolvidos nesta iniciativa são: Maria João Bebianno, Flávio Martins, Cristina Veiga Pires, Ana Barbosa, Sónia Cristina, Priscila Goela, Lilian Krug e Alice Newton.

Contribuição dos projetos de investigação do CIMA para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS)

CIMA SDG's

O Gráfico mostra

Continuar...

Poluição e Detritos

Poluição e Detritos

Nélia Mestre junta-se a Lucy Woodall como co-líder do novo grupo de trabalho em Poluição e Detritos no mar profundo do DOSI (Deep-Ocean Stewardship Initiative)

Continuar...

New published article: Barrier island resilience assessment: Applying the ecological principles to geomorphological data

Barrier island resilience assessment: Applying the ecological principles to geomorphological data

Aikaterini Kombiadou, Ana Matias, Susana Costas, Ana Rita Carrasco, Theocharis Plomaritis, and Óscar Ferreira presents

Continuar...

New published article: Temporal variability of flooding events of Guadiana River (Iberian Peninsula) during the middle to late Holocene: Imprints in the shallow-marine sediment record

Temporal variability of flooding events of Guadiana River (Iberian Peninsula) during the middle to late Holocene: Imprints in the shallow-marine sediment record

Isabel Mendes and Óscar Ferreira from CIMA,

Continuar...

Abertura de Concurso para 2 Bolsas de Doutoramento do CIMA

Abertura de Concurso para 2 Bolsas de Doutoramento do CIMA

Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de 2 Bolsas de Investigação para Doutoramento na área de Sistemas Ambientais e Recursos, preferencialmente na avaliação do impacto das alterações climáticas e do aquecimento global em diferentes ambientes e/ou avaliação de riscos ecotoxicológicos do mar profundo e/ou avaliação da qualidade ambiental e remediação, no âmbito da: Unidade de I&D Centro de Investigação Marinha e Ambiental (0350_2020), com o apoio financeiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) ao abrigo do Protocolo de Colaboração para Financiamento do Plano Plurianual de Bolsas de Investigação para Estudantes de Doutoramento, tendo como responsável a Profª. Doutora Maria João Bebianno.

O Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de 2 Bolsas de Investigação para Doutoramento, na área de Sistemas Ambientais e Recursos, está publicado na página da FCT, eracareers com o Link: http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&jobId=125487, e na página da UALG, Investigar-Bolsas, com o link:

https://www.ualg.pt/sites/ualg.pt/files/seccoes/uaic/minuta_avisoaberturaconcurso_bolsas_unidades_cmarterraambiente_2concurso.pdf.

O prazo de candidatura é de 15 de julho até às 17h00 (hora de Lisboa) de 31 de julho de 2020.

Anthropogenic pressures on coastal wetlands

Anthropogenic pressures on coastal wetlands

A newly published article, Anthropogenic pressures on coastal wetlands, results from the collaboration of past and present members of Future Earth Coasts, (formerly LOICZ). This was a large, review paper with many collaborators, and three of the co-authors are from CIMA-Centre for Marine and Environmental Research. CIMA is a Regional Engagement Partner of Future Earth Coasts.
The lead author, Alice Newton a former LOICZ chairperson, says: "Global projects, like Future Earth Coasts, bring scientists together, so that they can gain a common perspective on global issues". The article covers wetlands from the Arctic to the equator, in six continents. Some of the wetlands are small and some are very large. Some are in densely populated areas and some are remote. "We used the same social-ecological framework, based on DPSIR (Driver-Pressure-State-Impact-Response), to analyse all these wetlands" said Alice. "We look forward to a second article, in which we can further the analysis to look for equitable, sustainable solutions, not just to describe the problems".
The article is available in Open Access from this link.

Ocean Colour Summer School no CIMA

CIMA organiza Ocean Colour Summer School

O CIMA vai acolher a “Ocean Colour Summer School” – integrada na “Escola de Verão” da Universidade do Algarve, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Esta Summer School, cujo programa de formação está a ser dinamizado pelas Investigadoras Sónia Cristina e Priscila Goela do Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve, tem como instituição principal de acolhimento o CIMA, conta com o apoio da Portugal Space e integra no seu painel de formação vários investigadores que se distribuem entre as Universidades do Algarve, Lisboa, Aveiro, Évora, Açores e do Porto, e também do Instituto Hidrográfico (IH) e do Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA).

A Ocean Colour Summer School foca a temática da extração e utilização de dados de satélite, para estudar fenómenos e processos no Oceano, e integra-se no âmbito das prioridades definidas na Estratégia Nacional para o Espaço.

Os objetivos do plano de formação são, por um lado, capacitar estudantes na temática da deteção remota da cor do oceano, e por outro, estimular a cooperação científica entre alunos e professores de diferentes instituições nacionais.

A Ocean Colour Summer School inclui uma componente de formação letiva e outra de investigação, a realizar de forma exclusivamente presencial. Pretende-se que se desenvolvam breves trabalhos de investigação, tanto nas instalações da Universidade do Algarve, como nas instituições parceiras, para o qual prevê financiamento para 10 bolsas de investigação, destinadas a alunos de licenciatura e mestrado.

O início da Ocean Colour Summer School está previsto para o final de julho.

Mais informações em Candidaturas e Oportunidades: http://www.cima.ualg.pt/cimaualg/index.php/pt/home-cima/calls-opportunities/793-bolsas

 

Imagem do Satélite - Source: ESA/ATG medialab

Imagem aérea de Portugal - Source: Copernicus Sentinel Data (2016), from Sentinel 3A

 

 

Minerals Working Group preparou documento com comentários durante a consulta pública da Declaração de Impacto Ambiental

Minerals Working Group

A investigadora Nélia Mestre fez parte do grupo de peritos internacionais e membros do DOSI (Deep Ocean Stewardship Initiative) - Minerals Working Group que preparou o documento com comentários durante a consulta pública da Declaração de Impacto Ambiental para o teste no mar profundo de um pré-protótipo de coletor de nódulos polimetálicos emitida pelo Ministério das Ciências da Terra do Governo da Índia. O teste à mineração pretende ser desenvolvido em águas internacionais na zona central da bacia do oceano Índico. Este documento está disponível aqui: https://www.dosi-project.org/wp-content/uploads/DOSI_Submission_MoESEIS.pdf

Projeto Response no âmbito do JPI Oceans

JPI Oceans - Response

O CIMA vê mais um projeto aprovado sobre o impacto dos micro e nanoplásticos no âmbito do JPI Oceans. O projeto Response tem como objetivo propor a validação de estratégias ecológicas para avaliar a distribuição e o transporte de micro e nano plásticos em ecosistemas costeiros Europeus e avaliar os seus efeitos biológicos. Desenvolver metodologias a serem aplicadas para a deteção de nanoplásticos no oceano e seus efeitos em organismos de interesse comercial. Criação de um Smarthub tenológico combinando instalações instrumentais e conhecimentos complementares de empresas externas, para apoiar as necessidades analíticas do consórcio e desenvolvimentos metodológicos. O objetivo do RESPONSE é ainda o de desenvolver um modelo quantitativo sobre o efeito de micro e nanoplásticos em diferentes níveis da cadeia trófica com especial incidência para o efeito que estas nanopartículas podem ter em bivalves de interesse comercial.

Participam neste projeto 14 instituições de 11 países Europeus: Alemanha, Itália, Belgica, Dinamarca, Espanha, Estónia França , irlanda, Noruega, Portugal e Suécia

Ocean Action - See you soon in Lisbon

Ocean Action - See you soon in Lisbon

Embora a Conferência das Nacões Unidas sobre os Oceanos das Nações Unidas, organizada pelos governos de Portugal e do Quénia, tenha sido adiada devido à pandemia do COVID-19, o Ministério do Mar para reafirmar o seu compromisso para os objetivos de desenvolvimento sustentável e da Conferência dos Oceanos, organizou on line, na semana passada, uma iniciativa para evocar a Conferência e o papel dos oceanos tendo por base os diálogos interativos previstos no programa da Conferência. Maria João Bebianno, Diretora do CIMA, e membro do Grupo de Peritos das Nações Unidas para a Avaliação do Estado do Oceano interveio no âmbito do Dialogo 2 “Addressing Marine Pollution”

https://www.facebook.com/watch/?v=3094467490614655

Segunda-feira, 8 de junho de 2020 comemora-se o Dia Mundial do Oceano

Comemoração do Dia Mundial do Oceano

Segunda-feira, 8 de junho de 2020 comemora-se o dia mundial do oceano.
Embora seja um dia de celebração, este ano também é hora de refletirmos como indivíduos, cidadãos e membros de uma comunidade global. Este foi um ano estranho em todo o mundo, quando uma pandemia afastou todos os outros pensamentos de nossas mentes. A Conferência Mundial das Nações Unidas para o Oceano que deveria ter tido lugar de 2 a 6 de junho em Lisboa foi adiada.

A segunda Avaliação do Oceano Mundial (1), a ser entregue no final de 2020, concentra-se no estabelecimento de tendências existentes no ambiente marinho com relevância para a necessidade de elaboração de relatórios globais associados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (2).

Entretanto,o oceano, mares e zonas costeiras estão a sofrer pressões crescentes, como por exemplo, a poluição por plásticos e em particular por microplásticos, o aumento da temperatura, a acidificação e a desoxigenação. Os ecossistemas marinhos, como os recifes de coral, estão a entrar em colapso e as espécies marinhas, de ursos polares a tubarões e baleias, estão ameaçadas. Grandes áreas do oceano são 'zonas mortas'. O ano de 2021 será o início da Década das Nações Unidas para a Ciência do Oceano para o Desenvolvimento Sustentável (3), em que os cientistas estão convocados a colaborarem para estudarem problemas, e encontrarem soluções.

Então, quais os desafios que os cientistas enfrentam? Eles incluem: (i) interação entre diversidade e processos, estrutura e função do ecossistema; (ii) mudanças no ecossistema, biodiversidade e perda de habitat; (iii) restauração; (iv) estratégias de sustentabilidade para atividades humanas no oceano, incluindo a avaliação da saúde do oceano; (v) impactos humanos cumulativos e mudanças climáticas, como propulsores de mudanças; e (vi) conservação marinha. Os cientistas podem propor opções de gestão e governança, mas precisam de líderes para agir e tomar decisões, comprometerem-se a implementá-las e seguir as mudanças positivas. Os principais desafios da governança e das prioridades sociais incluem: (i) cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, (ii) novos métodos para ferramentas de apoio à decisão para estruturas de políticas, (iii) Acções climáticas, Planeamento Espacial Marinho e áreas marinhas proteigidas, (iv) estratégias de observação transnacionais, (v) envolver a sociedade de maneira mais eficaz na ciência do oceano e (vi) o papel das notícias falsas.

O CIMA, Centro de Pesquisa Marinha e Ambiental envia os melhores votos a todos os cientistas marinhos e amantes do oceano por ocasião do Dia Mundial do Oceano de 2020.

Para maiores informações:
(1) Evans, K., Chiba, S., Garcia-Soto, C., Bebianno, M., Ojaveer, H., Park, C., Ruwa, R., Simcock, AJ, Thanh, C. e Zielinski , T., 2019. A avaliação global integrada do oceano no mundo: vinculando observações à ciência e à política em várias escalas. Frontiers in Marine Science, 6, p.298. https://doi.org/10.3389/fmars.2019.00298
(2) https://sustainabledevelopment.un.org/
(3) https://www.oceandecade.org/
(4) Borja Angel, Andersen Jesper H., Arvanitidis Christos D., Basset Alberto, Buhl-Mortensen Lene, Carvalho Susana, Dafforn Katherine A., Devlin Michelle J., Escobar-Briones Elva G., Grenz Christian, Harder Tilmann, Katsanevakis Stelios, Liu Dongyan, Metaxas Anna, Morán Xosé Anxelu G., Newton Alice, Piroddi Chiara, Pochon Xavier, Queirós Ana M., Snelgrove Paul VR, Solidoro Cosimo, St. John Michael A., Teixeira Heliana, 2019. Grandes desafios futuros em ecologia de ecossistemas marinhos. Frontiers in Marine Science, 7, p.362. https://www.frontiersin.org/article/10.3389/fmars.2020.00362

 

Workshop online envolvendo especialistas e profissionais a nível mundial

O Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve,

Continuar...

Projeto H2020 NAUTILUS

O CIMA viu aprovada a candidatura ao projeto H2020 NAUTILUS na área do Crescimento Azul.

Continuar...

O CIMA apoia o novo Centro de Diagnóstico do COVID-19 em Faro

COVID-19 em Faro

O CIMA apoia o novo Centro de Diagnóstico do COVID-19 em Faro, junto ao Estádio do Algarve.

Continuar...

Curso de Verão - Dunas Costeiras: Dinâmica e Conservação

Curso de Verão - Dunas Costeiras: Dinâmica e Conservação

Local: Universidade do Algarve, Campus de Gambelas e Ria Formosa;

Datas importantes:

Candidaturas entre 16 de Março e 30 de Abril.
Comunicação final de aceitação e lista de reserva – 8 de Maio

Envio de comprovativo de residência/hotel – 22 de Maio

Envio de informação completa (programa final, local das aulas, etc.) – 15 de Junho

Missão: O curso pretende dotar os participantes de uma visão genérica e integrada sobre os habitats dunares e a sua conservação. Serão abordados tópicos como a dinâmica sedimentar dunar, o coberto vegetal, a avifauna, a pressão antrópica e o seu impacto, as medidas de recuperação e regeneração destes ambientes e a evolução das dunas no contexto das alterações climáticas. O curso contempla um dia de campo com exemplificação de ameaças aos habitats dunares e possíveis soluções.

Destinatários: Estudantes de licenciatura ou mestrado em Ciências do Mar, Biologia Marinha, Gestão Marinha e Costeira, Biologia, Geociências, Geografia e Ciências do Ambiente. Só funcionará com um mínimo de 10 alunos e terá um limite máximo de 25 alunos.

Seleção: Cumprir os requisitos do público-alvo. Por ordem de receção de candidatura.

Candidatura: Email para Óscar Ferreira (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.), com breve curriculum vitae (dados pessoais e percurso escolar/académico). Aos estudantes aceites será solicitado um comprovativo de hotel/hostel/residência para as datas do curso, como garantia de frequência. A sua não apresentação levará à exclusão do estudante.

Custos: Não possui custo de inscrição. Os alunos terão de assegurar o custo da sua viagem e estadia (dormida, alimentação e transporte). A organização disponibilizará as condições e materiais necessários, bem como barco/autocarro para saídas de campo.

Informações: Óscar Ferreira (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.)

Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher CIMA

Hoje celebra-se mais um Dia Internacional da Mulher. O CIMA não quis deixar passar em vão esta data, destacando o excelente trabalho desenvolvido diariamente pelas nossas investigadoras. Assim, o CIMA apresenta uma mensagem de uma jovem estudante da Escola Secundária de São Brás, Joana Monteiro, que partilhou este seu texto para todas as mulheres da ciência dos dias de hoje.

Neste dia, reconhece-se a importância e o contributo da mulher na sociedade e são, também, lembradas as conquistas das mulheres. A origem deste dia remete para a luta das mulheres, que trabalhavam em fábricas, na exigência do reconhecimento dos seus direitos e em melhores condições de trabalho. Apesar deste dia ser comemorado desde o início do século XX, e apesar do reconhecimento e da valorização da mulher terem evoluído positivamente desde então, continuam a subsistir desigualdades. Na Ciência e na Investigação é, também, importante que este esforço, para que a mulher seja devidamente reconhecida, seja realizado.


Ao longo dos séculos, as mulheres que desenvolviam as suas atividades na área da Ciência, da Tecnologia, Engenharia e Matemática, tiveram de ser persistentes para alcançarem os seus sonhos e, ainda que o tenham conseguido, permaneceram quase invisíveis. Em Portugal, temos o exemplo de Branca Edmée Marques, nascida a 1899, em Lisboa. Licenciada em Ciências Físico-Químicas, em 1931, partiu para França para prosseguir os seus estudos, o que se revelou difícil, pois as mulheres, naquela época, não podiam sair do país sem a autorização dos maridos. E, para além da autorização do marido, Branca teve, também, de se fazer acompanhar de sua mãe. Em Paris, Branca estudou Física Nuclear, desenvolvendo a sua investigação sob a orientação de Marie Curie. Depois de ter concluído o seu doutoramento, regressou a Portugal e fundou e dirigiu, na Faculdade de Ciências de Lisboa, o Laboratório de Radioquímica. Aos 65 anos, tornou-se a primeira mulher professora catedrática de química, em Portugal, mas teve de esperar 12 anos para ver concretizada a sua candidatura. Branca foi um exemplo de coragem, de superação da desigualdade, e uma inspiração para as cientistas portuguesas.


Apesar dos avanços ocorridos após a revolução do 25 de Abril, constata-se, ainda hoje, que a sociedade portuguesa persiste em atribuir papéis sociais destintos aos dois géneros, secundários à mulher, contribuindo, assim, para a perpetuação dos estereótipos de género, limitando a livre expressão dos talentos de mulheres e homens. Ao longo do seu percurso escolar, raparigas e rapazes são condicionados nas suas escolhas, com impacto nos seus percursos académicos.
Mundialmente, os indicadores mostram que existe um maior número de rapazes em áreas de estudo das Ciências, Tecnologias, Engenharia e Matemática do que raparigas. Deste modo, continua a assistir-se a uma sociedade guiada por estereótipos, que pode estar a fazer com que mulheres ocupem áreas profissionais em que não são tão reconhecidas, e com as quais podem até identificar-se menos.


A realidade mostra que meninas e mulheres evitam estudos relacionados com áreas técnicas e científicas, porque, quando são mais novas, não têm tanto contacto e experiência com essas áreas, sendo a política educacional, o contexto cultural, os esteriótipos e a carência de modelos a seguir, fatores determinantes nessas escolhas.
Mas, ainda que, corajosamente, se decidam por enveredar por essas áreas, as suas dificuldades não terminam aí. Prolongam-se nas dificuldades que encontram para progredir no local de trabalho, na disparidade salarial que encontram, nas dificuldades que enfrentam para conseguir um equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, nas dificuldades que têm de ultrapassar para dar resposta às obrigações familiares, nos obstáculos à maternidade. O isolamento e a exclusão, o sentimento de pertença a uma minoria, agravam as dificuldades sentidas.


Que o dia de hoje, pelo seu simbolismo, possa contribuir para a promoção de uma verdadeira igualdade entre mulheres e homens, e a ambos permita experimentar todas as possiblidades que a realidade oferece.
Que o dia de hoje sirva também para que recordemos o contributo que mulheres como Branca Marques, deram a esta causa.
Que o seu exemplo inspire e motive mulheres em todo o mundo a enfrentar os seus problemas, a encontrar as suas respostas, e a prosseguir os seus objetivos com determinação.

Joana Monteiro

Entrevista da Professora Doutora Maria João Bebianno, Diretora do CIMA, à RTP, no programa "No Tempo das Dálias".

https://www.rtp.pt/play/p5384/e450157/no-tempo-das-dalias

Sandy beaches around the world under threat from climate change

Nature Climate Change

Theocharis Plomaritisis is a CIMA researcher that belongs to the team that published the article "Sandy beaches around the world under the threat of climate change", a study published yesterday in the journal Nature Climate Change.

Continuar...

Fate and Effects of Cytostatic Pharmaceuticals in the Marine Environment

Fate and Effects of Cytostatic Pharmaceuticals in the Marine Environment

Maria João Bebianno e Tainá Garcia Fonseca publicam um capítulo sobre

Continuar...

Avaliação da potencial limitação por nutrientes da comunidade fitoplanctónica

Avaliação da potencial limitação por nutrientes da comunidade fitoplanctónica

A investigadora do CIMA Rita Domingues e os alunos do mestrado em Biologia Marinha, Gabriel Bombo e Jéssica Guimarães, realizaram no passado dia 2 de dezembro uma saída de campo ao estuário do Rio Guadiana para recolha de amostras de água com vista à realização de experiências de enriquecimento em nutrientes. O objetivo é avaliar a potencial limitação por nutrientes da comunidade fitoplanctónica, que é a principal produtora primária neste ecossistema altamente túrbido. Estas experiências têm sido realizadas ao longo de 2019, em diferentes estações do ano, de forma a avaliar o estado ecológico do estuário do Guadiana. Estes estudos revestem-se de especial importância dada a retenção de água na barragem de Alqueva, que afeta toda a dinâmica estuarina.

Working draft – Exploitation Regulations

Exploitation Regulations

Nélia Mestre fez parte do grupo de peritos internacional DOSI Minerals Working Group que preparou um documento com comentários ao regulamento de exploração de recursos minerais no mar profundo que está a ser preparado pela International Seabed Authority. Este documento foi submetido e está disponível aqui: https://www.dosi-project.org/topics/minerals/ 

Mussel study

Mussel  study  determines  risk  posed  by  rare earth metals to marine environments

Estudo levado a cabo por investigadores do CIMA é notícia na newsletter da UE “Science for Environmental Policy”. Trata-se de um estudo em mexilhões que demonstra o risco causado por metais raros no ambiente marinho.

Continuar...

Evora workshop progresses discussions on the development of REMP for the Northern Mid-Atlantic Ridge

EVORA WORKSHOP PROGRESSES DISCUSSIONS ON THE DEVELOPMENT OF REMP FOR THE NORTHERN MID-ATLANTIC RIDGE

A investigadora do CIMA Nélia Mestre participou na reunião de trabalho organizada pela International Seabed Authority (ISA),

Continuar...

Conferência Internacional "Technology for Maritime Surveillance and Emergency Management”

Technology for Maritime Surveillance and Emergency Management”

Universidade do Algarve acolhe especialistas internacionais em Vigilância Marítima e Resposta à Emergências

Realizou-se nos dias 12 e 13 de novembro, na Universidade do Algarve, a Conferencia International "Technology for Maritime Surveillance and Emergency Management”.

Durante um dia e meio foram debatidos temas de grande atualidade e pertinência relativos ao setor, tais como: o Crescimento Azul e a Região do Algarve, a Indústria 4.0 para a Vigilância Marítima, Oportunidades de Financiamento para a Vigilância Marítima e Tecnologias Oceânicas, o plano de contingência português “Plano Mar Limpo”, o Modelo de Gestão de Emergências ICS, entre muitos outros.

O leque de oradores contou com especialistas e entidades de importância nacional, tais como a Direção Geral Política do Mar e a Autoridade Marítima Nacional, e de renome internacional, como a European Maritime Safety Agency, a Autoridade Portuária de Piraeus, a FEPORTS (Fundação Portuária de Valência) entre outros. Contou ainda com a participação de empresas de referência no setor, a nível internacional que apresentaram tecnologias de ponta, utilizadas para a vigilância marítima, prevenção e resposta a emergências.

A relevância das comunicações e a importância dos oradores atraiu participantes de Portugal, Espanha e também de outros países do espaço MED (Chipre, França, Grécia, Itália e Malta), num total de cerca de 70 pessoas.

Os participantes puderam ainda disfrutar de um programa social aprazível que incluiu um jantar com iguarias regionais e mediterrânicas no restaurante Tertúlia Algarvia e um Cocktail com live music, no bar Columbos, em Faro.

A conferência internacional foi uma organização conjunta entre o CRIA e o CIMA, no âmbito dos projetos PROteuS (Promoting Security and Safety by Creating a MED Cluster on Maritime Surveillance) e CIU3A (University Innovation Centre Andaluzia, Alentejo and Algarve), co-financiados respetivamente pelos programas INTERREG Mediterranean e INTERREG POCTEP Espanha-Portugal.

Projeto LIFE Ilhas Barreira

Projeto LIFE Ilhas Barreira

Decorreu nos dia 24 e 25 de Outubro a primeira reunião do projeto LIFE Ilhas Barreira, na sede do Parque Natural da Ria Formosa. Este projeto, liderado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, e com um orçamento total superior a 2 M€, pretende caracterizar as necessidades ecológicas e as ameaças à conservação de espécies e habitats na Ria Formosa, tendo em vista a implementação de ações de conservação. A atividade da equipa da UAlg/CIMA dedicar-se-á, sobretudo, a estudos e medidas conducentes à conservação das dunas da Ria Formosa, com particular destaque para a Ilha Deserta/Barreta.

Seminário Internacional Technology for Maritime Surveillance and Emergency Management

Seminário Internacional Technology for Maritime Surveillance and Emergency Management

Nos dias 12 e 13 de Novembro de 2019, no Campus da Penha, Algarve, PORTUGAL, a Universidade do Algarve organizou o Seminário Internacional Technology for Maritime Surveillance and Emergency Management.

Neste seminário foram discutidos os avanços na utilização de tecnologias marítimas no apoio à vigilância marítima, bem como na prevenção e resposta a emergências, como por exemplo derrames de hidrocarbonetos no mar.

Este seminário foi organizado no âmbito dos projetos PROteuS (Promoting Security and Safety by Creating a MED Cluster on Maritime Surveillance) e CIU3A (University Innovation Centre Andaluzia, Alentejo and Algarve), no âmbito dos programas INTERREG Mediterranean e INTERREG POCTEP Espanha-Portugal, trazendo ao Algarve oradores internacionais de topo, para partilhar as suas experiências, projetos e negócios.

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CIMA 11 – 12 novembro 2019

Stress no Oceano. De abordagens multidisciplinares à investigação transdisciplinar.

Stress no Oceano. De abordagens multidisciplinares à investigação transdisciplinar.

Continuar...

Cruzeiro científico do projeto ALSSOMAR a bordo do B/O Sarmiento de Gamboa

Cruzeiro científico do projeto ALSSOMAR a bordo do B/O Sarmiento de Gamboa

A investigadora do CIMA, Isabel Mendes, participou no cruzeiro científico do projeto ALSSOMAR a bordo do B/O Sarmiento de Gamboa, de 29 de Agosto a 19 de Setembro. O projeto ALSSOMAR tem como objetivo fornecer uma visão integrada dos processos de transferência de sedimentos da plataforma para o talude continental numa área de canhões submarinos e suas implicações para a biodiversidade. Durante a campanha, na zona norte do Mar de Alboran, foram obtidas imagens de alta resolução com o ROV Luso, colhidas amostras de sedimentos superficiais, testemunhos verticais, amostras biológicas e dados de geofísica. O cruzeiro coordenado cientificamente pelo Dr. Francisco Lobo (Instituto Andaluz de Ciências da Terra/CSIC Granada) contou ainda com a participação de investigadores da Universidade de Granada, IEO Málaga, Universidade de Málaga, Universidade de Cádis, Universidade de Vigo, Universidade de Barcelona, Universidade de Las Palmas.

The Geology of Iberia: A Geodynamic Approach

The Geology of Iberia: A Geodynamic Approach

Uma das obras científicas mais completas sobre a Geologia da Península Ibérica acabou de ser publicada pela Springer Nature, enquadrada na sua série Regional Geology Reviews. A obra intitulada The Geology of Iberia: A Geodynamic Approach, projetada em cinco volumes, inclui a participação de dois elementos do CIMA em diversos capítulos do volume 2 - The Variscan Cycle. Parabéns ao Prof. Paulo Fernandes e Investigadora Gilda Lopes.
https://link.springer.com/book/10.1007/978-3-030-10519-8

Does vegetation reduce the magnitude of dune erosion induced by storms?

Does vegetation reduce the magnitude of dune erosion induced by storms?

Óscar Ferreira, Susana Costas e Juan Hervas ganharam mais um projeto, desta vez aprovado pela ESA – European Spatial Agency.

Este estudo propõe uma abordagem pioneira para avaliar os efeitos benéficos da vegetação na erosão das dunas em condições reais e o papel desempenhado pelas características da vegetação (densidade de cobertura e habitats das dunas). Além disso, fornecerá uma visão empírica aos gestores costeiros ao considerarem a vegetação como uma forma de proteção das dunas. Além disso, vários mapas georreferenciados serão exibidos da cobertura vegetal e serão desenvolvidas comunidades para todo o sistema de dunas da Ria Formosa, capturando os efeitos sazonais.

 

Many low-elevation coastal areas are under the threat of flooding and erosion. Among different approaches to protect coastal communities from these hazards, dune recovery and enhancement is gaining popularity worldwide since these systems function as the first barrier against the impact of storms, while they can adjust naturally to new environmental conditions and do not alter the surrounding ecosystems. Hence, its relevance for coastal protection has led to an extensive research regarding sandy coasts and dune system response to storm events. However, some components of these coastal features, like the vegetation cover, have not been generally included when assessing storm impacts. Previous studies have explored the different mechanisms through which vegetation may contribute to reduce erosion, for example, by reducing surface flow velocities or enhancing sediment cohesion. While these studies demonstrated the beneficial vegetation effects on dune preservation, their experiments (performed under controlled conditions) present certain limitations, and conclusions from those studies cannot be easily transferred to real dune systems. For instance, those studies did not consider the maturity of the dune systems, the spatial plant variability and did not fully reproduce the root system. Also, they don’t provide a clear physical explanation behind the mechanisms through which vegetation reduces dune erosion.

To better understand this phenomenon, we aim to design a methodology that utilizes remote sensing technology to investigate the effect of the vegetation in reducing dune erosion at a regional scale during a real storm event. This methodology will use data from the Earth Observation Third Party Missions and will be applied on a barrier island system at the Ria Formosa (Portugal) hit by the winter storm Emma in 2018. This regional scale approach reduces uncertainties and enhances the robustness of our findings by increasing the amount of available information against previous studies mainly focused on a very limited spatial scale and flow conditions. Consequently, we plan to evaluate the magnitude of erosion and its alongshore variability, in particular, dune retreat caused by the impact of this storm, by mapping the seaward limit of the dune vegetation. The vegetation will be mapped using data collected by WorldView-2, whose high-spatial resolution and multispectral nature will allow us to map different plant communities and to estimate surface plant density. The mapping of the vegetation cover will be carried out by calculating the Normalized Difference Vegetation Index (NDVI) at each pixel, which informs about the greenness of the surface. This method relates the surface reflectance at the red and the near infrared part of the electromagnetic spectrum. By using the NDVI, the mapping of the vegetation along the Ria Formosa barrier islands will be estimated before (last week of February of 2018) and after (second week of March of 2018) the passage of the storm. In situ observations carried out by the investigators of this project revealed that dune retreat was lower than 5 meters, and hence, high-resolution satellite imagery is required instead of lower resolution open resources (Landsat 8 or Sentinel). Additionally, the dynamics and seasonal cycles of the vegetation will be assessed by a monitoring plan carried out using imagery from May of 2017, October of 2017 and February of 2018.

A method to estimate the longshore sediment transport at ebb‐tidal deltas based on their volumetric growth: Application to the Guadiana (Spain–Portugal border)

Este estudo propõe um novo método para estimar a taxa de transporte litoral de sedimentos

Continuar...

A global ‘greening’ of coastal dunes: An integrated consequence of climate change?

A global ‘greening’ of coastal dunes: An integrated consequence of climate change?

A Investigadora Susana Costas voltou a colaborar num trabalho realizado recentemente relativamente a diferentes pontos críticos como: o crescimento generalizado da vegetação costeira das dunas em muitas latitudes nas últimas três décadas; o aumento da cobertura vegetal das dunas que pode proporcionar melhor resistência à erosão ao longo das costas orladas; campos de dunas costeiras podem se estar a mover em direção a uma fase de dinâmica estática; a escala global de “esverdeamento” das dunas costeiras pode ser impulsionada por uma combinação de mudanças no clima e na composição atmosférica.

 

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0921818119303327?fbclid=IwAR0gnxhEW3zYz7zPn2Tk9NwqHXxIkKwGsjwziANfptHKTCkJLwx6dckk7Sc

Artigo de Maria João Bebianno para a Revista de Marinha

Entrevista de Maria João Bebianno para a Revista de Marinha

O oceano é parte do grande sistema terrestre e deve ser um espaço seguro e de boa qualidade ambiental; representa 71% da superfície do planeta, 60% do qual é ocupado por áreas para além da jurisdição nacional em que 90% dessas áreas contêm várias formas de vida. Maria João Bebianno num artigo à Revista de Marinha

https://revistademarinha.com/oceano-em-perigo/

Embaixadora da Austrália em Portugal

EMBAIXADORA DA AUSTRÁLIA EM PORTUGAL

No passado dia 27 de agosto de 2019 o CIMA integrou a comitiva de boas vindas à Embaixadora da Austrália em Portugal, Claire Rochecouste, na sua visita à Universidade do Algarve. Esta foi a primeira visita da embaixadora a uma universidade portuguesa. Na ocasião o Investigador do CIMA Flávio Martins apresentou os resultados do trabalho de investigação que o CIMA tem desenvolvido em conjunto com o centro TropWater da James Cook University, Queensland, Austrália, no âmbito do projeto financiado pelo governo Australiano "Identifying water quality and ecosystem health threats to the Torres Strait and Far Northern GBR arising from runoff of the Fly River". A Embaixadora ficou entusiasmada com o nível de colaboração existente, tendo sido delineadas ações que permitam uma maior aproximação entre os dois países nas áreas da investigação e da educação.

2ª Avaliação do Estado do Oceano das Nações Unidas

2ª Avaliação do Estado do Oceano das Nações Unidas

Professora Maria João Bebianno participou nas Nações Unidas, na sua qualidade de Membro do Grupo de Peritos das Nações Unidas para a Avaliação da Qualidade do Ambiente Marinho incluindo os Aspectos Sócio-Económicos na reunião do Grupo de Peritos para efetuar a segunda avaliação do estado do oceano para o qual o grupo foi mandatado pela Assembleia Geral das Nações Unidas que decorreu de 5 a 9 de agosto na sede das Nações Unidas em Nova York. No decorrer da reunião do grupo de Peritos, teve ainda uma reunião com a Diretora da Divisão para os Assuntos do Oceano e para o Direito do Mar e com os coordenadores do Grupo Ad Hoc no seu conjunto.  Este grupo integra todos os Países Membros das Nações Unidas e foi mandatado pelas Nações Unidas para supervisionar a segunda avaliação do estado oceano.
Esta reunião teve como objetivo fazer uma análise dos diferentes capítulos que irão integrar a segunda avaliação do estado do oceano e definir o conteúdo do capítulo síntese que irá orientar a sua estrutura com base nos seis temas já definidos para integrar a Década da Ciência d o Oceano para um Desenvolvimento Sustentável aprovada pelas Nações Unidas para o período 2021-2030 que são um oceano sem contaminação, um oceano saudável e resiliente, um oceano previsível, um oceano seguro, um oceano sustentável e produtivo e um oceano transparente e acessível. Está previsto que uma primeira versão desta avaliação possa estar disponível em junho de 2020 para ser apresentado na Conferência Mundial do Oceano das Nações que se irá realizar em Lisboa.

Encontro de Ciência 2019

Encontro de Ciência 2019

No primeiro dia do Encontro Ciência 2019, a investigadora do CIMA, Tainá Fonseca, apresentou na forma de comunicação oral o tema "Fármacos anticancerígenos no ambiente marinho: Uma poluição invisível", com exposição da problemática ambiental referente à contaminação e elevada toxicidade causada por essa classe terapêutica em ecossistemas costeiros, dada a sua libertação em corpos d´água após a administração destes medicamentos e sua remoção incompleta por tecnologias convencionais aplicadas nas estações de tratamento de águas residuais.

No segundo dia da conferência, a equipa do CIMA, representada por Mauro Figueiredo, Tainá Fonseca e o estudante de doutoramento Luciano de Oliveira Jr., marcaram presença com a instalação de demonstrações das atividades de I&D realizadas no centro, com destaque para a exposição do projeto Milage Aprender +, suportado por tecnologias de informação e comunicação, o qual visa estender o ambiente de aprendizagem da sala de aula tradicional para uma sala de aula virtual, num sistema de aprendizagem misto que combina aulas presenciais com aulas online.

Maria João Bebianno, Cristina Veiga-Pires e Maria Inês Gameiro presidiram algumas sessões nomeadamente Proteger a Vida Marinha e Paz, Justiça e Instituições Eficazes.

 

 

Tainá Fonseca e Luciano Júnior no minuto 1:00

https://www.youtube.com/watch?v=ywGt0ZldKbM

CIMA avaliado com MUITO BOM pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Fundação para a Ciência e a Tecnologia

FCT publica resultados da Avaliação das Unidades de I&D

O processo de Avaliação das Unidades de I&D no âmbito do Programa Plurianual de Financiamento está completo para 31* dos 32 painéis nos quais se organizam as Unidades. A FCT publica os resultados propostos no âmbito deste processo já comunicados aos coordenadores das unidades candidatas.

 

https://www.fct.pt/noticias/index.phtml.pt?id=452&/2019/6/FCT_publica_resultados_da_Avalia%C3%A7%C3%A3o_das_Unidades_de_I&D

CIMA monitoriza numa semana mais de 100 Km da Costa do Algarve com o seu veículo submarino autónomo

veículo submarino autónomo

Na última semana, uma equipa do CIMA composta pelos investigadores Flávio Martins, João Janeiro, Maria Mayrinck e Fernando Mendonça, efetuaram um registo excecional de campanhas de monitorização da costa do algarve, a bordo das embarcações NRP Cassiopeia da Marinha Portuguesa e NRP Auriga do Instituto Hidrográfico. Para esse fim utilizaram o Veículo Submarino Autónomo (AUV) que totalizou mais de 100 Km de amostragem de parâmetros oceanográficos, ao longo de toda a costa do algarve. Este registo excecional mostra a eficiência desta metodologia de amostragem com recurso à robótica submarina. O estudo insere-se no projeto de investigação INTERREG-POCTEP OCASO e visa melhorar o conhecimento dos processos oceanográficos da Costa do Algarve, Estes dados permitirão ainda melhorar a capacidade de previsão do modelo oceanográfico SOMA desenvolvido pelo CIMA.

More news...

Homenagem ao Doutor Jacques Rey, Professor Emérito da Université Paul…

Artigo publicado recentemente no Bulletin de la Société d'histoire naturelle...

Read more

A global ‘greening’ of coastal dunes: An integrated consequence of…

A Investigadora Susana Costas voltou a colaborar num trabalho realizado...

Read more

Encontro de Ciência 2019

No primeiro dia do Encontro Ciência 2019, a investigadora do...

Read more

Poluição e Detritos

Nélia Mestre junta-se a Lucy Woodall como co-líder do novo...

Read more

ICCS 2019 - MARINECOMP “Marine Computing in the Interconnected World…

Os Investigadores Flávio Martins e João Janeiro organizaram o workshop...

Read more

Ria Formosa: challenges of a coastal lagoon in a changing…

O livro “Ria Formosa: challenges of a coastal lagoon in...

Read more

Welcome to ENLACE website

ENLACE is a research project aiming at developing solutions to help...

Read more

4th European Climate Change Adaptation conference

As Investigadores Delminda Moura e Cristina Veiga-Pires participaram na "4th...

Read more

Does vegetation reduce the magnitude of dune erosion induced by…

Óscar Ferreira, Susana Costas e Juan Hervas ganharam mais um...

Read more

Evora workshop progresses discussions on the development of REMP for…

A investigadora do CIMA Nélia Mestre participou na reunião de...

Read more

Diretora do CIMA agraciada com a Medalha de Mérito Grau…

O Municipio de Faro decidiu atribuir a Maria João Bebianno...

Read more

Dia Internacional da Mulher

Hoje celebra-se mais um Dia Internacional da Mulher. O CIMA...

Read more

Anthropogenic pressures on coastal wetlands

A newly published article, Anthropogenic pressures on coastal wetlands, results...

Read more

Workshop online envolvendo especialistas e profissionais a nível mundial

O Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade...

Read more

Comemoração dos 30 anos da European Association of Remote Sensing…

Na passada semana na comemoração dos 30 anos da European...

Read more

Governação e Sustentabilidade do Mar, desafios presentes e prementes

A Coordenadora do CIMA, Professora Doutora Maria João Bebianno participou...

Read more

5º Sentinel-3 Validation Team Meeting 7-9 Maio 2019

Estação Espacial Europeia (ESA)/ESRIN, Frascati, Itália (https://www.s3vt.org/)

Read more

I Congresso Intermunicipal pela Associação Terras do Infante

A Associação Terras do Infante organizou no passado dia 23...

Read more

Programa Erasmus+ Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres -…

No âmbito do Programa Erasmus+, o CIMA recebeu estudantes do...

Read more

O Livro Comunidades Energéticas Sustentáveis

Francisco Calhau, membro do Centro de Investigação Marinha e Ambiental...

Read more

CIMA monitoriza numa semana mais de 100 Km da Costa…

Na última semana, uma equipa do CIMA composta pelos investigadores...

Read more

The Geology of Iberia: A Geodynamic Approach

Uma das obras científicas mais completas sobre a Geologia da...

Read more